TRANSLATE

quarta-feira, 22 de março de 2017

CAPIVARA CONTANDO VANTAGEM
Crônicas do Xadrez cap. - V

por Roberto Telles de Souza
Toda semana postamos aqui as famosas crônicas sobre xadrez do nosso grande amigo e entusiasta de nosso esporte o Árbitro Internacional Roberto Telles de Souza


https://4.bp.blogspot.com/-yzziePgGqVk/V42K98ZAWlI/AAAAAAAAEHM/StH5SNhX3qYoO_yBF84oFyGsD4QlHcZ0gCPcB/s200/wil.png
 Confederação Brasileira de Xadrez, Licença: 5700568643 ID nº.77
https://media.licdn.com/media/AAEAAQAAAAAAAANrAAAAJGM2ZjQwMmNkLThiNzAtNDBmNC1iOGRjLTJhODRiOWE5NWNkZg.png



https://4.bp.blogspot.com/-AvoahtcvFiA/WDgYV1gMiWI/AAAAAAAAE1g/RK7H4c3idG8H7oDqb5VY-fiyWY05y99ZgCLcB/s320/conteudo_sub_24957_32802_1_1.jpg
Por Roberto Telles de Souza


CAPIVARA CONTANDO VANTAGEM
E quando o "capivara" quer reproduzir uma partida que não anotou? Começa assim: "Joguei aquela variante da Ruy Lopez... como é o nome mesmo? Aquela que o ..., o ..., o ..., jogava. Você sabe, aquele do campeonato mundial!
Não importa, comi o cavalo dele com o meu bispo. Na hora não me lembrava se isso era bom ou não, mas mesmo assim comi. Ele comeu o meu bispo, daí eu joguei ... o que foi mesmo que eu joguei? Ah sim, parece que eu... roquei. Daí ele jogou ..., ..., sei lá, parece que... foi o ... Bem, eu não me lembro, mas depois de alguns lances a posição ficou... assim, oh! Era lance dele. Não, não era..., o lance era meu! Mas "tá" faltando um lance. Eu sei que está faltando. Não..., já sei!

O lance era dele... tem algum lance trocado... Tá faltando um lance... Espere um pouco, vou voltar a posição...
Depois de um processo interminável de "tentativas e erros", que dura por baixo uma hora e meia, finalmente diz triunfante:
"- O que importa é que entrei nesse final, com uma qualidade e um peão a menos. E sabe o que aconteceu? Não me lembro bem dos lances, mas, no final, ele afogou o meu rei. Você não acredita, cara, eu consegui empatar ainda! Você quer que eu tente me lembrar certinho dos lances?"

Capivara, transforme-se em um "Kaspivarlsen"

Siga os passos abaixo:

1º Pergunte a alguns adversários, que você tenha vencido, quais foram os oponentes mais fortes que eles enfrentaram.

2º Torça para que ao menos um deles tenha participado de uma competição oficial, ou quase oficial, mesmo que seja o torneio escolar da EEP Santa Terezinha de Sertanópolis do Oeste.

3º Faça, então, devidamente adaptada, a pergunta do Passo 1º desta sequência.

4º Torça também para que o mesmo se enquadre no Passo 2º.

5º O importante é descobrir alguém que ganhou de alguém, que venceu alguém que venceu alguém, que... até uma vitória sobre um respeitado campeão, mesmo que essa vitória tenha ocorrido quando esse campeão era ainda uma criança se iniciando no xadrez, ou sobre um velho gagá que se gaba de ter vencido o vice-campeão de Pontal do Icuruí de Várzea Alegre, em 1.929.

6º E, assim sucessivamente, tente identificar uma rede linear que o leve a uma vitória indireta sobre um Mequinho, Milos, Giovanni, Leitão, Darcy, Sunyê, Fier ou Kasparov, Fischer, Karpov, Anand, Kraminik, Magnus Carlsenou até mesmo sobre enxadristas falecidos como Capablanca, Petrossian, Tal, ou aquele que você escolher.

7º Se você ainda assim não conseguir se tornar um "campeão indireto", é porque realmente é um destacado capivara.

8º Se você não entendeu o tópico, não desanime, pois existe uma tradição no xadrez que diz: "Todo capivara tem um dia de mestre". Isso significa que há boas chances de você ainda se tornar um capivara mais bem informado.



https://4.bp.blogspot.com/-cx3RbzxDPNQ/WDgYcxN51bI/AAAAAAAAE1k/cY_6qkCznPU_hgj2vF84xZBZ2UCpvte3gCLcB/s1600/telles_bio.jpg


Autoria: Roberto Telles de Souza (Árbitro Internacional)
O Xadrez é algo mais do que um jogo; é uma diversão intelectual que
tem um pouco de Arte e muito de Ciência. É, além disso, um meio de
aproximação social e intelectual. (GM J. R.Capablanca, ex-campeão
Mundial)