TRANSLATE

segunda-feira, 3 de julho de 2017

LEIS GERAIS DO CAPIVARISMO
Crônicas do Xadrez cap. - XXIV

por Roberto Telles de Souza
Toda semana postamos aqui as famosas crônicas sobre xadrez do nosso grande amigo e entusiasta de nosso esporte o Árbitro Internacional Roberto Telles de Souza


https://4.bp.blogspot.com/-yzziePgGqVk/V42K98ZAWlI/AAAAAAAAEHM/StH5SNhX3qYoO_yBF84oFyGsD4QlHcZ0gCPcB/s200/wil.png
 Confederação Brasileira de Xadrez, Licença: 5700568643 ID nº.77
https://media.licdn.com/media/AAEAAQAAAAAAAANrAAAAJGM2ZjQwMmNkLThiNzAtNDBmNC1iOGRjLTJhODRiOWE5NWNkZg.png



https://4.bp.blogspot.com/-AvoahtcvFiA/WDgYV1gMiWI/AAAAAAAAE1g/RK7H4c3idG8H7oDqb5VY-fiyWY05y99ZgCLcB/s320/conteudo_sub_24957_32802_1_1.jpg
Por Roberto Telles de Souza


LEIS GERAIS DO CAPIVARISMO
As (primeiras) Dez Leis do Capivarismo (não necessariamente nessa ordem):
https://2.bp.blogspot.com/-BJLgmojuhOg/WL1URkWWbKI/AAAAAAAAFbg/laQtgLxL0AI1ZONxVB5oZ3CeNFfLTjlqgCLcB/s1600/download.jpg

1ª Quando o capivara tenta reverter um erro por ele cometido, faz outro em seguida;

2ª Quando o adversário faz o lance ganhador, o capivara conclui que este seu último lance não era tão bom quanto parecia;

3ª Quando um capivara sacrifica, sabendo que há uma única refutação em mil, o adversário, por pior que seja, sempre encontra esse lance ganhador;

4ª Quando o capivara avalia que seu adversário deixou uma peça desprotegida, toma e, momentos depois, entende o mito do Cavalo de Tróia;


5ª Quando o capivara acha que conseguirá inevitavelmente dar o mate, é surpreendido com um “mate de gaveta” do adversário, com torre na oitava fileira;


6ª Quando o capivara acha que encontrou uma longa combinação ganhadora, sempre, após dois ou três lances, é surpreendido com um mate intermediário, do adversário, é claro;


7ª Quando o capivara decora uma partida e torce para que o adversário “caia” na cilada programada, sempre esse adversário joga alguns lances de acordo com a expectativa, porém altera a seqüência e vence a partida;

8ª Quando o capivara, em casa, avalia a partida da lei anterior, descobre que poderia ter vencido se jogasse o lance mais óbvio cobrado pela posição, logo após a alteração;

9ª Quando o capivara realiza uma seqüência de sacrifícios magistrais, descobre posteriormente que não dispõe de uma única peça para dar o mate;

10ª Quando o capivara constata que está perdido, pergunta-se sobre o porquê de continuar insistindo em jogar xadrez.

As (segundas) Dez Leis (complementares) do Capivarismo:

1ª Quando o capivara acha que fez um lance decisivo e ganhador, acerta apenas 50% dessa sua avaliação;

2ª Quando o capivara percebe que sua dama está atacada, não a remove, optando por um xeque intermediário. Empolga-se e dá outro xeque. Faz um lance preparatório para o mate magistral, porém se esquece do início desta lei;

3ª Quando o capivara decora várias partidas, inclui em seu repertório uma variante perdedora... e não é que a joga!

4ª Quando o capivara pensa em jogar um "f5" ganhador, mas surge não sei de onde um forte enxadrista para ver a partida, o capivara opta por não jogar aquele lance ganhador, por medo de eventuais críticas posteriores. Invariavelmente, após a partida, o forte jogador dirá: - Por que você não jogou "f5" naquela hora? Era ganhador!

5ª Quando o capivara demora muito para rocar devido à sua indecisão, sofre um ataque demolidor no centro do tabuleiro;


6ª Quando o capivara quer mostrar uma partida que venceu, nunca consegue recompor a seqüência de lances;

7ª Quando o capivara consegue uma vantagem decisiva sobre um adversário bem mais forte, lembra-se que não sabe dar mate com bispo e cavalo contra apenas um indefeso rei;


8ª Quando o capivara constata, com tristeza, que perdeu por tempo uma partida "ganha", bem depois é avisado por alguém que presenciava o jogo que o tempo do adversário "caiu" antes;


9ª Quando o capivara finalmente, após infindáveis manobras, descobre a linha de ganho, o adversário chama o árbitro e diz que serão completados os 50 lances, sem captura ou movimento de peões;
10ª Quando o capivara constata que, como sempre, está perdido mais uma vez, pergunta-se sobre o porquê de continuar insistindo em jogar xadrez.

https://4.bp.blogspot.com/-cx3RbzxDPNQ/WDgYcxN51bI/AAAAAAAAE1k/cY_6qkCznPU_hgj2vF84xZBZ2UCpvte3gCLcB/s1600/telles_bio.jpg


Autoria: Roberto Telles de Souza (Árbitro Internacional)


2 comentários:

Dundy - EUA vs Instrutor Willian - BRA

Jogue com o Fritz

Ataque Grob - Crianças nunca façam isso!!!!

O Xadrez é algo mais do que um jogo; é uma diversão intelectual que
tem um pouco de Arte e muito de Ciência. É, além disso, um meio de
aproximação social e intelectual. (GM J. R.Capablanca, ex-campeão
Mundial)